Source files of fsfe.org, pdfreaders.org, freeyourandroid.org, ilovefs.org, drm.info, and test.fsfe.org. Contribute: https://fsfe.org/contribute/web/ https://fsfe.org
You can not select more than 25 topics Topics must start with a letter or number, can include dashes ('-') and can be up to 35 characters long.

freesoftware.pt.xhtml 7.0KB

123456789101112131415161718192021222324252627282930313233343536373839404142434445464748495051525354555657585960616263646566676869707172737475767778798081828384858687888990919293949596979899100101102103104105106107108109110111112113114115116117118119120121122123124125126127128129130131132133
  1. <?xml version="1.0" encoding="UTF-8" ?>
  2. <html>
  3. <head>
  4. <title>FSFE - O que é o Software Livre?</title>
  5. </head>
  6. <body>
  7. <h1>O que é o Software Livre?</h1>
  8. <p>Livre, no Software Livre refere-se à liberdade, não ao preço.
  9. O termo tem sido usado nesse sentido desde a década de 1980, a primeira
  10. definição completa e documentada parece ser a que apareceu no <a href="http://www.gnu.org/bulletins/bull1.txt">Boletim informativo GNU, Vol.1 Nro. 1</a>,
  11. publicado em Janeiro de 1989. Em particular, quatro liberdades <a href="http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.html">definem</a> o Software Livre:</p>
  12. <ul>
  13. <li><h3>A liberdade de executar o programa para qualquer
  14. efeito.</h3>
  15. <p> <em>Definir restrições sobre o uso do Software Livre, como
  16. as limitações de tempo (30 dias de "período experimental", a licença
  17. expira em 01 de janeiro de 2004), de finalidade ("autorização concedida para
  18. pesquisa e uso não-comercial "ou" não pode ser usado para comparar com outros produtos"),
  19. ou de área geográfica ("não deve ser utilizado no país X") faz um programa não-livre.</em></p>
  20. </li>
  21. <li><h3>A liberdade de estudar como o programa funciona e
  22. adaptá-lo às suas necessidades.</h3>
  23. <p> <em>Estabelecer restrições legais ou práticas sobre
  24. a compreensão ou modificação de um programa, como a obrigação de comprar
  25. licenças especiais, a assinatura de acordos de não divulgação ou para
  26. linguagens de programação com múltiplas formas de representação, acrescentar
  27. a dificuldade para compreender e editar um programa (código fonte)
  28. com o objectivo de que seja inacessível, isso significa que o software é
  29. privativo (não livre). Sem a liberdade de modificar um programa,
  30. os usuários permanecerão à mercê de um único fornecedor.</em></p>
  31. </li>
  32. <li><h3>A liberdade de redistribuir cópias, de modo que você pode
  33. ajudar os outros</h3>
  34. <p> <em>O software pode ser copiado e distribuído praticamente
  35. sem custo. Se você não está autorizado a dar um programa para aqueles que o precisam, então, esse
  36. programa não é livre. Isso pode ser feito por um preço, se desejar.</em></p>
  37. </li>
  38. <li><h3>A liberdade de aperfeiçoar o programa e fazer melhorias
  39. publicamente disponíveis, para toda comunidade se beneficiar.</h3>
  40. <p> <em>Nem todos os programadores são tão bons em
  41. todos os campos. E algumas pessoas não sabem programar. Esta
  42. liberdade permite que aqueles que não têm o tempo ou habilidades
  43. para resolver um problema possam acessar de forma indireita à liberdade
  44. de modificação. Isso pode ser feito a um custo.</em></p>
  45. </li>
  46. </ul>
  47. <p>Estas liberdades são direitos e não deveres, embora
  48. respeitar essas liberdades para sociedade pode, por vezes, obrigar o
  49. indivíduo. Cada pessoa pode optar por não usá-las, mas você também pode escolher
  50. usá-las todas. Note-se que aceitar as liberdades de Software
  51. Livre não exclui o uso comercial. Se um programa impede o uso ou
  52. distribuição comercial, não é Software Livre. De fato, um crescente
  53. número de empresas baseia o seu modelo de negócios completamente ou, pelo menos parcialmente
  54. no Software Livre, incluindo alguns dos maiores fornecedores de software
  55. privativo. No Software Livre é legal o fornecimento de ajuda e assistência, embora
  56. não seja um requerimento.</p>
  57. <h3>Terminologia</h3>
  58. <p>O Inglês parece ser a única língua com uma ambiguidade
  59. tão certa entre liberdade e preço ("free" pode significar tanto "livre" como
  60. "grátis"). Quando é traduzido para outros idiomas,
  61. "Free Software" torna-se "Logiciels Libre" em francês, "Software Libre"
  62. em castelhano, "Software Livre" em Português, "Fri Software" em dinamarquês ou qualquer outro
  63. que for o termo equivalente a liberdade na língua local.</p>
  64. <p><h3>Código Aberto</h3></p>
  65. <p>Em 3 de fevereiro de 1998, tirando proveiro do aviso de
  66. lançamento do navegador Netscape como Software Livre, um grupo de
  67. pessoas reuniram-se em Palo Alto no Silicon Valley e fizeram propostas para iniciar
  68. uma campanha de marketing para o Software Livre usando o termo "Código
  69. Aberto"("Open Source"). O objetivo era conseguir uma rápida comercialização e aceitação do
  70. Software Livre por parte das empresas e do capital de investimento da
  71. nova economia em expansão. Como meio para esse fim, eles decidiram
  72. conscientemente deixar de lado as questões de longo prazo (tais como a filosofia,
  73. a ética e os efeitos sociais) relacionadas com o Software Livre, sentindo que eram
  74. obstáculos para uma rápida aceitação por parte dos investidores e empresários. Propuseram
  75. centra-se exclusivamente nas vantagens técnicas<a class="fn" href="#fn">1</a>.</p>
  76. <p>Muitas vezes, de boa fé algumas pessoas referem-se ao
  77. Software Livre com o termo "código aberto", que originalmente
  78. foi definido da mesma forma que o Software Livre, em termos de
  79. termos da licença de execução, e está a ser usado cada vez mais. Hoje
  80. é regularmente usado regularmente para tudo o que ficar entre software livre e proprietário
  81. "Programa de Segurança Governamental" (SGP) da Microsoft<a class="fn" href="#fn">2</a>.</p>
  82. <p><h3>Libre Software</h3></p>
  83. <p>Quando a Comissão Europeia analisou a Lei de Software
  84. Livre, encontraram maneiras de evitar a ambigüidade da frase
  85. "Free Software" e os equívocos da "Open Source", o que levou à adopção
  86. de um terceiro termo, que apareceu ocasionalmente por volta de 1992:
  87. "Libre Software". O termo tem mantido o seu significado
  88. e usa-se de forma idêntica à do Software Livre. Por isso, pode ser uma solução
  89. para aqueles que temem ser mal interpretados quando falam Inglês.</p>
  90. <h2 id="fn">Referências</h2>
  91. <ol>
  92. <li>
  93. Para referências, veja <a href="http://web.archive.org/web/20021217003716/http://www.opensource.org/advocacy/faq.html"> a
  94. FAQ da OSI</a>: <em>Qual é a relação do «Código Abierto» com o «Software Libre»?
  95. A Open Source Initiative é um programa de marketing do Software Livre, uma
  96. liberação para uso com fundamentos pragmáticos e não na natureza
  97. ideológica. A essência vencedora não mudou. Porém, a atitude e
  98. simbolismo perdedores, sim.</em>
  99. </li>
  100. <li>
  101. Neste programa, os governos e organizações intergovernamentais pagam taxas substanciais para
  102. poder dar uma olhada superficial em algumas partes do código-fonte do Windows
  103. de instalações especiais da Microsoft. Isto pode aumentar a sensação de
  104. segurança, mas é essencialmente inútil, sobretudo porque não há maneira de que eles vejam
  105. se isso é o que eles realmente têm nos seus computadores. E, também, não lhes outorga liberdade.
  106. </li>
  107. </ol>
  108. </body>
  109. <timestamp>$Date: 2010-09-24 14:38:52 +0000 (Fri, 24 Sep 2010) $ $Author: samtuke $</timestamp>
  110. <translator>pcgaldo</translator>
  111. </html>
  112. <!--
  113. Local Variables: ***
  114. mode: xml ***
  115. End: ***
  116. -->